AUTO-HEMOTERAPIA maio de 2012

Auto-hemoterapia é uma técnica que combate e cura doenças com a retirada de sangue da veia e aplicação imediata no músculo. Esta terapia vem salvando vidas há mais de cem anos. Este espaço é dedicado à divulgação desta técnica, difundida pelo Dr. Luiz Moura, do RJ.


AUTO-HEMOTERAPIA - INFORMAÇÕES SOBRE A TERAPIA QUE CURA ATRAVÉS DO SANGUE

1. DVD DR. LUIZ MOURA

2. MÉDICOS   3. PESQUISA   4. BIBLIOTECA   5. LINKS  

6. HISTÓRICO  


10.05.2012

 

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os antibióticos... 96

 

Texto: Jorge Martins Cardoso (Médico – CRM 573)

 

Adrenalina, (a*) aminofilina (b*) e corticóide (c*).

 

Neste, e nos próximos artigos, como iremos tratar de um assunto acentuadamente técnico, pedimos permissão aos leitores para incluir de novo nossos intervalos musicais. Tal inclusão atende ao desejo de centenas de leitores, que, disseram-me gostar mais das músicas do que dos meus textos. Concordo com eles. Também serão incluídos intervalos aleatórios. Os intervalos (musicais e aleatórios) serão numerados. Já as observações não.. Elas irão apresentar-se assim: observação ou outra observação.

 

Uma repórter de TV correu esbaforida atrás de um bombeiro que esticava a mangueira até o fogo e, resfolegando, lançou a pergunta: "O senhor vai jogar água no fogo?" O sujeito sobreviveu a um terrível acidente, do qual nenhum outro membro da família escapou, e o repórter pergunta: "Como o senhor está se sentindo?". Os dois "hilariantes" episódios são relatados num livro. O título do livro é "Perguntar Ofende!" (1).

 

Embora existam controvérsias, dizem que perguntar não ofende. Na maioria das vezes, quem faz uma pergunta é porque quer saber. E se quer saber, é porque ainda não sabe. No entanto, às vezes as perguntas são tão ignorantes, mas tão ignorantes, que chegam a ser uma ofensa. Às vezes uma dolorosa ofensa...

 

(...) "O aumento do número de macrófagos foi observado pelo Dr. Jésse Teixeira na vesícula produzida pela cantaridina. O mesmo ocorre no sangue periférico?". (página dezesseis do parecer do Conselho Federal de Medicina). (2). Santo Deus! Quanta...

 

Dentre os vários livros acadêmicos recomendados pelos professores da Faculdade de Medicina de Sergipe, durante as décadas de 60 e 70, destacamos o de Histologia, (d*) cujo autor é Dr. Arthur W. Ham. (3). Escreveu ele:

Livro de Histologia (é de 1967) - Página 151 - Terceira Parte - OS QUATRO TECIDOS FUNDAMENTAIS E SUAS SUBDIVISÕES. Páginas 154 e 155 - CLASSIFICAÇÃO MORFOLÓGICA DOS TECIDOS - 1. Tecido Epitelial. 2. Tecido Conjuntivo. 3. Tecido Muscular. 4. Tecido Nervoso. Página 155 - 2. Tecido Conjuntivo - Tecido Conjuntivo Comum e Tecido Conjuntivo Especial. (3).

 

1º intervalo musical - Moça, me espere amanhã/levo o meu coração/pronto pra te entregar. Moça, moça eu te prometo/eu me viro do avesso/só pra te abraçar.

 

Observação - Neste livro, o Tecido Epitelial é descrito nos capítulos 8 e 9, abrangendo as páginas 153 à 185, totalizando 32 páginas. No nosso trabalho iremos levá-lo em pouca consideração. O Tecido Conjuntivo é descrito nos capítulos 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18 e 19, abrangendo as páginas 187 à 443, totalizando 256 páginas. É este tecido que será objeto de nossos estudos mais aprofundados. O Tecido Muscular abrange o capítulo 20, indo da página 445 à 472 (27 páginas) e o Tecido Nervoso é estudado no capítulo 21, que vai da página 473 à 537 (64 páginas). Os dois últimos tecidos também serão levados em pouca consideração no nosso trabalho atual. Portanto, o nosso alvo principal é o Tecido Conjuntivo. (3).

 

2º intervalo musical - Moça, sei que já não és pura/teu passado é tão forte/pode até machucar. Moça, dobre as mangas do tempo/jogue o teu sentimento/todo em minhas mãos.

 

Outra observação - Ao estudarmos o Tecido Conjuntivo, daremos maior atenção aos capítulos 11, 12, 13 e 14. O capítulo 11 estuda As Células do Tecido Conjuntivo Frouxo Comum, abrangendo as páginas 211 à 241 (30 páginas). O capítulo 12 estuda As Células do Sangue (Leucócitos), indo da página 243 à 269 (26 páginas). O capítulo 13 estuda As Células do Sangue (Eritrócitos), da página 271 à 280 (9 páginas) e finalmente o capítulo 14 estuda Plaquetas e Fibrina, da página 281 à página 289 (8 páginas). Entre os capítulos 11, 12, 13 e 14, serão analisados com maior intensidade os capítulos 11 e 12. Aí então ficaremos sabendo quem manda na paróquia: Ou os MONÓCITOS ou os MACRÓFAGOS. (3).

 

3º intervalo musical - Eu quero me enrolar nos teus cabelos/abraçar teu corpo inteiro/morrer de amor, de amor me perder. Eu quero, eu quero, eu quero, eu quero me enrolar nos teus cabelos/abraçar teu corpo inteiro/morrer de amor, de amor me perder.

 

1º intervalo aleatório - "A auto-hemoterapia não produz MONOCITOSE".

Capítulo 11 - As Células do Tecido Conjuntivo Frouxo Comum - 1. Persistência de Células Mesenquimais Indiferenciadas (páginas 212 e 213). 2. Células Endoteliais dos Capilares (página 213). 3. Fibroblastos (páginas 213, 214, 215, 216, 217 e 218). Página 218 - 4. MACRÓFAGOS - A palavra macrófago significa "grande comedor", e designa de modo adequado um grande fagócito que é normalmente encontrado no tecido conjuntivo frouxo, e que pode ingerir certas espécies de bactérias, durante infecções, ajudando também o tecido conjuntivo frouxo a manter-se livre de pedaços resultantes da fragmentação de células ou de seus produtos. Estas mesmas células são denominadas por alguns autores, histiócitos ou clasmatócitos. Uma razão para justificar a existência de nomes distintos para tais células talvez esteja em que os macrófagos podem apresentar aspectos diferentes. Quando mais ou menos livres, tendem a apresentar uma conformação ovóide, mas quando se encontram em posições onde são comprimidos por outros componentes teciduais, podem distender-se e exibir contornos angulares. (3).

4º intervalo musical - Moça, sei que já não és pura/teu passado é tão forte/pode até machucar. Moça, dobre as mangas do tempo/jogue o teu sentimento/todo em minhas mãos.

 

O prefixo macro distingue estas células de outros fagócitos menores encontrados no sangue, que não obstante penetram no tecido conjuntivo frouxo num local onde exista reação inflamatória. Êstes fagócitos menores, habitantes normais do sangue, foram chamados micrófagos há muito tempo. Hoje, contudo, os "micrófagos" são universalmente denominados leucócitos neutrófilos (polimorfonucleares), e serão descritos no próximo capítulo, juntamente com as outras células sanguíneas. (3).

 

5º intervalo musical - Eu quero me enrolar nos teus cabelos/abraçar teu corpo inteiro/morrer de amor, de amor me perder. Eu quero, eu quero, eu quero, eu quero me enrolar nos teus cabelos/abraçar teu corpo inteiro/morrer de amor, de amor me perder.

 

2º intervalo aleatório - "O aumento do número de macrófagos foi observado pelo Dr. Jésse Teixeira na vesícula produzida pela cantaridina. O mesmo ocorre no sangue periférico?" - (página 16 do parecer do CFM). (2).

Outra observação - Segundo o livro de histologia (é de 1967), os macrófagos são também chamados de histiócitos ou clasmatócitos. Um macrófago (um grande fagócito), normalmente é encontrado no tecido conjuntivo frouxo. Já os fagócitos menores, são habitantes normais do sangue. Não obstante, os fagócitos menores (encontrados no sangue), penetram no tecido conjuntivo frouxo num local onde exista reação inflamatória. (3).

 

6º intervalo musical - Eu quero, eu quero, eu quero, eu quero me enrolar nos teus cabelos/abraçar teu corpo inteiro/morrer de amor, de amor me perder...

 

3º intervalo aleatório - No artigo 94 escrevemos: INFLAMAÇÃO? MONOCITOSE? NEUTROFILIA? PROCESSOS INFLAMATÓRIOS? PROCESSOS INFECCIOSOS? TUBERCULOSE? Ali nos referíamos à "INFLAMAÇÃO CLÁSSICA", assunto que iremos ver com mais detalhes posteriormente.

Alô leitores musicais: a música é "Moça" do saudoso Wando. (e*).

Pessoal, como a música terminou, também terminamos por aqui. (aguardem a 2ª parte).

 

Se Deus nos permitir voltaremos outro dia. Bom dia.

 

(*) - Os asteriscos acompanhados de suas respectivas namoradas (as respectivas letras), serão relacionados na última parte.

Aracaju, 08 de maio de 2012.

Jorge Martins Cardoso - Médico - CRM 573.

 

Fontes: (1) - Livro - "Perguntar Ofende!" - Autor: José Nello Marques - Jornalista - Disal Editora - 2003 - (120 páginas). (2) - Parecer CFM nº 12/2007 na íntegra - Interessado: Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa - Assunto: Auto-hemoterapia - Relator: Dr. Munir Massud (Médico) - Brasília - DF, 26 de outubro de 2007 - Página 16 (dezesseis) - (35 páginas). (3) - Livro - Histologia - Arthur W. Ham, M.B., F.R.S.C., D. Sc. - Professor Catedrático do Departamento de Anatomia da Faculdade de Medicina da Universidade de Toronto, e Pesquisador Associado da Divisão de Pesquisa Biológica do Instituto do Câncer de Ontário, Toronto, Canadá. - 5ª Edição Americana - 3ª Edição Brasileira - Editora Guanabara Koogan S. A. - Rio de Janeiro - 1967 - Páginas 151, 154, 155, 212, 213, 214, 215, 216, 217 e 218. - (965 páginas).

 

 

---

Outros artigos

 

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 95III

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 95II

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 94

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 93

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 92

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 91

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 90

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 89

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 88

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 87

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 86

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 85

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 84

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 83

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 82

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 81

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 80

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 79

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 78

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 77

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 76

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 75

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 74

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 73

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 72

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 71

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 70

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 67/68

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 65

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 64

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 63

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 62

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 61

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os Antibióticos... 60



MAIS INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE AUTO-HEMOTRERAPIA

VISITAS DESDE 17.04.2008:

 

1. DVD DR. LUIZ MOURA

2. MÉDICOS   3. PESQUISA   4. BIBLIOTECA   5. LINKS  

6. HISTÓRICO  

TOPO

ROTEIRO

NATAL RN SITES

FORUM

FALE CONOSCO