AUTO-HEMOTERAPIA

A CURA DE DOENÇAS COM USO DO PRÓPRIO SANGUE

O QUE É AUTO-HEMOTERAPIA?  E-MAIL 


09.02.2008

Auto-hemoterapia no Jornal do CFM

Jornal do CFM ignora dúvidas e questionamentos para condenar apressadamente a técnica

--- Walter Medeiros

Um ditado bastante conhecido cria um risco muito grande para quem busca e defende a verdade; aquele segundo o qual uma mentira muito repetira tende a se tornar verdade. Pois é dessa forma que o Conselho Federal de Medicina quer combater a auto-hemoterapia: através de mentira, da divulgação de informações incorretas e da defesa de posições parciais. Isto fica claro quando o “Jornal Medicina”, publicado pelo CFM, veicula em sua edição Nº 167, de dezembro de 2007, que a  “Auto-hemoterapia não tem eficácia comprovada”. Em vista do Parecer Nº 12/07, que resultou de uma pesquisa feita pela metade, aquele órgão deveria ter o mínimo de postura ética e anunciar que ele, o Conselho, tem dúvidas sobre o assunto. Mas ao contrário leva à categoria dos médicos uma informação falsa, desconsiderando todas as falhas apresentadas sobre aquele documento.

O autor do Parecer, o médico Munir Massud é quem assina o artigo e afirma que “De acordo com o presidente do Conselho, Edson de Oliveira Andrade, o CFM promete rigor para os médicos que adotarem o procedimento”, adiantando que o presidente declarou que “Os que o praticarem deverão ser denunciados, para serem processados por isso”. Até então o presidente do CFM não tinha feito declarações sobre o parecer, que declara, raivosamente, sobre a auto-hemoterapia, que “Trata-se de uma falácia, que não tem valor científico e não pode ser aceita”, concluindo que “Cabe ao CFM alertar a população que isso não deve ser feito, pois pode vir a complicar a saúde do paciente".

Como se sabe, todas essas afirmações do Presidente do CFM e do autor do Parecer 12/07 são completamente suspeitas, tanto que o documento foi enviado para a ANVISA e este órgão não se deu por satisfeito, preferindo buscar outras opiniões, já que o Parecer do CFM não lhe dá segurança para decidir que providências adotar.

A matéria do “Jornal Medicina” confessa que “A Anvisa buscou a opinião das autoridades médicas sobre o procedimento porque essa terapia se tornou bastante popular: é oferecida a baixo custo, inclusive em farmácias”. O representante do CFM, com sua imaginação fértil, diz que existiria “a promessa de curas milagrosas para doenças graves como câncer e aids - o que não é comprovado pela ciência, de acordo com o parecer (o seu parecer, baseado em pesquisa incompleta feita principalmente em abstracts de uma só base de pesquisa)”.

Deixando transparecer a verdadeira importância que a auto-hemoterapia vem assumindo na sociedade brasileira, o artigo a considera que, “definida como tratamento de certas doenças pela retirada e nova injeção do sangue no próprio paciente, vem sendo utilizada indiscriminadamente, o que preocupa o governo”. Num estudo notadamente superficial, o parecerista diz que constatou, sobre a auto-hemoterapia, que "não há comprovação de sua efetividade, nem de sua segurança". Toda essa formulação vêm confrontar com o trabalho do Dr. Luiz Moura, o grande divulgação da auto-hemoterapia, cujo trabalho já beneficiou milhares de pessoas, basta ver o que dizem os depoentes no Fórum sobre Auto-hemoterapia (http://inforum.insite.com.br/39550/ . Mas Dr. Luiz Moura não está só.

OS MÉDICOS DISCORDAM

O médico Alex Botsaris, do Rio de Janeiro, assina artigo veiculado no site VIA ESTELAR, com o título de “Auto-hemoterapia é um tratamento ainda experimental”, no qual diz que “É preciso fazer uma avaliação equilibrada sobre a auto-hemoterapia”. Ao contrário do que está colocado no parecer do CFM, o médico - autor de livros como “Sem Anestesia”, que teve grande repercussão na área de saúde – afirma que “não é verdade que essa terapêutica não tenha nenhum fundamento, nem que não haja nenhum trabalho publicado sobre ela na literatura mundial ou nacional, como afirma a SBHH” (Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia). Ele define a Auto-hemoterapia como “um recurso terapêutico simples que consiste em retirar sangue de uma veia e aplicar no músculo”.

Por sua vez o médico paraibano Júlio Bandeira defende e recomenda a auto-hemoterapia. Ele conta que teve o primeiro contato com esse procedimento ainda na década de 1940. Dr. Júlio afirmou ao jornal Correio da Paraíba conhecer vários relatos de tratamentos bem sucedidos com a utilização da terapia médica. “Eu sou defensor da medicina natural e, também, percebo na auto-hemoterapia um recurso fácil e barato. Além disso, não vejo nenhum risco que ela possa oferecer aos pacientes, porque eles deverão ser acompanhados por algum médico que utilize o método e possa orientá-los” destacou.

Também o médico mineiro Ronaldo João, que exerce a profissão há 32 anos e atende no município mineiro de Sete Lagoas, Minas Gerais, afirma que o assunto auto-hemoterapia causa polêmica porque “parece que a ANVISA e as instituições que congregam médicos e para-médicos se fazem de cegos e surdos para não verem e ouvirem o que é evidente, pois quem sabe de seus males é o paciente e são centenas de milhares que nesses 105 (cento e cinco) anos de existência do tratamento relatam melhoras e curas.”. O médico acrescenta que “Isto nos entristece, porque esse tratamento, apoiado por estas entidades seria a redenção da saúde pública nacional tão combalida nos dias de hoje.

“Qualquer médico no mundo com um mínimo de conhecimento de imunologia, hematologia, clínica médica e bom senso deva admitir que a auto-hemoterapia funcione baseada em evidências clínicas (prática aceita pela medicina atual).” A afirmação é do médico Marcus Mac-Ginity, gaúcho de Porto Alegre, que atua em clínica e pediatria há mais de 20 anos, morando e trabalhando na cidade baiana de Rio Real, situada na divisa com Sergipe.

Perito do INSS e pediatra, o médico Tarcísio Gurgel de Souza, de Natal, fez uma avaliação do material que dispunha sobre auto-hemoterapia e opinou que os dados disponíveis ainda são mínimos, mas deposita credibilidade nos informantes. Ele acrescenta que a auto-hemoterapia funciona porque “os neutrófilos se defendem a princípio sem saber quem são os ‘invasores’ e conseqüentemente se multiplicam em defesa do seu ‘criador’ e de uma maneira imediata o beneficiam ao seguir caminhos diferentes e também de maneira indireta”. E acrescentou que “A indústria farmacêutica indubitavelmente treme ao ouvir falar neste assunto; é como o prenúncio da chegada de um tsunami.”

A GRANDE TESTEMUNHA

Um médico estudioso e sem preconceitos, Dr. Francisco das Chagas Rodrigues fez, a meu pedido, uma leitura de todo material que disponibilizamos na Internet desde que o FANTÁSTICO abordou o assunto auto-hemoterapia, em abril de 2007. Sua conclusão foi surpreendente. Ele percebeu e afirma que “a ‘arte’ de curar que caracteriza a medicina estava fortemente agredida.”. E acrescenta: “Não vi nenhum paciente queixoso da referida técnica; pelo contrário, diversos relatos não contestados de benefícios”. Ainda segundo o médico, “O que foi argumentado para diminuir a importância da técnica foi um efeito placebo sugerido, mas não comprovado. E se comprovado... que mal há? Não trouxe o bem? Inclusive o próprio placebo tem a sua aplicação em Medicina.”.

Dr. Rodrigues é psiquiatra do Rio Grande do Norte, que fez uma avaliação completa do assunto e relata: “O que achei mais interessante é que existem muitos pacientes em todo o Brasil que utilizam a técnica e que os Conselhos de cada estado poderiam ter solicitado o testemunho dessas pessoas.”. “Ora, - observa - se é para a população que os Conselhos prestam serviço na fiscalização dos atos médicos, parece que a grande testemunha foi deixada de fora.”

O mastologista Eliel Souza, também de Natal-RN é mais um médico que falou sobre a auto-hemoterapia, afirmando que “Seria providencial estimular pesquisas nas universidades públicas para definições embasadas na ciência e nas evidências com a criação de protocolos e normatização das prescrições, evitando assim que a terapêutica caia no descrédito”. A opinião foi postada em comentário ao artigo “A notícia que ninguém publicou”, no Observatório da Imprensa. O link para a mensagem é http://observatorio.ultimosegundo.ig.com.br/artigos.asp?cod=466FDS006. Dr. Eliel opinou que “Esta campanha é fundamental”, observando que “Obviamente que ela contraria inúmeros interesses (principalmente aqueles da poderosa indústria farmacêutica)”. Segundo ele, aquela poderosa indústria “inclusive pode estar influenciando decisões em setores que deveriam ser “blindados” a tais ingerências.”

Em São Paulo, o médico paulista Gilberto Lopes da Silva Júnior anunciou em artigo no Diárioweb, de São José do Rio Preto, que não pode deixar de recomendar que as pessoas experimentem a auto-hemoterapia. Ele reconsiderou resposta dada anterior, quando foi questionado recentemente sobre o valor da técnica e mostrou-se totalmente descrente. Agora ele afirma que “pesquisando melhor e tendo conhecimento que esse procedimento foi idealizado e testado em animais pelo Professor Jesse Teixeira, não posso deixar de reconsiderar e recomendar”.

Depois de todos esses depoimentos, perguntamos: seria possível ao Conselho Federal de Medicina continuar dizendo que fala em nome dos médicos do Brasil? Parece que está havendo uma falta de sintonia. É razoável, portanto, querer que um órgão do status do CFM para afirmar que uma terapia não teria valor científico, apresentasse um parecer com valor científico incontestável.

 

Elitismo da medicina retarda aprovação da auto-hemoterapia

 03.02.2008

Cineasta diz que DVD da Auto-hemoterapia tocou a alma do povo

Um artigo do cineasta Marcos Manhãs Marins divulgado no site  Cinema Brazil ( http://cinemabrasil.org.br ) com o título de “RECORD” afirma que “O vídeo BRASILEIRO mais assistido nos últimos 3 anos foi o documentário de entrevistas intitulado AUTO-HEMOTERAPIA...”. Segundo o comentário, “Estima-se que mais de 20 MILHÕES de pessoas assistiram ao vídeo, e sem ele passar na TV.  Está no youtube, no video.google, à venda pela internet, DVD copiado e passado de mão em mão”. Ele informa ainda que a assistência “Superou o TROPA DE ELITE e todos os demais audiovisuais brasileiros dos últimos tempos, excluindo os que foram passados na TV aberta”, observando que “DONA FLOR E SEUS DOIS MARIDOS foi visto por 11 ou 12 milhões”. Conclui que “este foi o "record" de público de qualquer filme ou vídeo brasileiro”. Leia matéria completa em CINEASTA

TRANSCRIÇÃO DO DVD COM ENTREVISTA DO DR. LUIZ MOURA

 

. ASSISTA DR. LUIZ MOURA EXPLICANDO A AUTO-HEMOTERAPIA

 

. EXPLICAÇÕES SOBRE AUTO-HEMOTERAPIA

 

. ABAIXO-ASSINADO DEFENDE AUTO-HEMOTERAPIA

 

. PESQUISA DO SITE ORIENTAÇÕES MÉDICAS

 

. OUTROS LINKS

 

Participe do forum sobre auto-hemoterapia, no link http://inforum.insite.com.br/39550/ 

 

FANTÁSTICO, CONSELHOS E USUÁRIOS

. "FRAUDE" FORJADA (AUTO-HEMOTERAPIA NO FANTÁSTICO)

. O MÉDICO BAIXOU O NÍVEL (PRESIDENTE DO CFM DETRATA COLEGA)

. PARECER DO CREMERJ É CHEIO DE FALHAS (PARECER NÃO TEM ARGUMENTOS CONTRA AUTO-HEMOTERAPIA)

. AUTO-HEMOTERAPIA, UMA QUESTÃO DE PESQUISA (PARECER DO CFM É CHEIO DE DÚVIDAS)

. PESQUISA E ABAIXO-ASSINADO SOBRE AUTO-HEMOTERAPIA (SITES UTILIZAM ESTES MEIOS PARA CONSTATAÇÕES E DEFESA DA AUTO-HEMOTERAPIA)

. AUTO-HEMOTERAPIA: PROIBIÇÃO PODE SER PENA DE MORTE PARA MUITOS (ARTIGO MOSTRA CONSEQUÊNCIAS DA PROIBIÇÃO)

. CASSAÇÃO DE REGISTRO DO DR. LUIZ MOURA VIOLA DIREITOS HUMANOS

. SUPERFICIALIDADE NO PARECER DO CFM

. CASSAÇÃO DO DR. LUIZ MOURA NO OBSERVATÓRIO DA IMPRENSA

. DR. ALEX BOTSARIS QUER EQUILÍBRIO NA AVALIAÇÃO DA AUTO-HEMOTERAPIA

. CFM ADMITE TERAPIA SEM COMPROVAÇÃO

. PARECERES DO CFM CRIAM CONFUSÃO SOBRE CIÊNCIA

 

OS MÉDICOS

. Médico paulista também recomenda AHT

. Mastologista sugere estímulo à pesquisa

. Proibição à auto-hemoterapia é agressão à arte de curar

. Médico prevê sucesso da auto-hemorerapia

. Médico diz que prescrever auto-hemoterapia é ato de humanidade

. Médico mineiro diz que auto-hemoterapia seria redenção da saúde pública

. Paraibanos aprovam a auto-hemoterapia

 

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MEDICINA COMPLEMENTAR

 

INFECÇÃO E SABEDORIA DOS MÉDICOS ANTIGOS

 

AUTOHEMOTRANSFUSÃO COMO PREVENÇÃO DE COMPLICAÇÕES PULMONARES PÓS-OPERATÓRIAS

Artigo publicado no "The American Journal of Surgery" (May, 1936 - pág.321), intitulado "Autohemotransfusion in Preventing Postoperative Lung Complications" e assinado por Michael W. Mettenletter (cirurgião do Pós-Graduate Hospital, de Nova York). Texto em inglês; arquivo pdf.

CLIQUE NA FOTO PARA ACESSAR O ABAIXO-ASSINADO

TOPO

MENU

INDIQUE SITES

CIDADES DO RN

FALE CONOSCO