terça-feira, 03/09/13

AUTO-HEMOTERAPIA - INFORMAÇÕES SOBRE A TERAPIA QUE CURA ATRAVÉS DO SANGUE

 

Auto-hemoterapia é uma técnica que combate e cura doenças com a retirada de sangue da veia e aplicação imediata no músculo. Esta terapia vem salvando vidas há mais de cem anos. Este espaço é dedicado à divulgação desta técnica, difundida pelo Dr. Luiz Moura, do Rio de Janeiro.

 

 

. DVD DR. LUIZ MOURA

. HISTÓRICO

. MÉDICOS  

. PESQUISA  

. BIBLIOTECA  

. LINKS  

. ARQUIVOS


RELATOS

Enfermidades tratadas com auto-hemoterapia, segundo centenas de relatos dos usuários: acnase, aftas, alergias, alzheimer, anemia, ansiedade, artrite, artrose, asma, autoimunohemoterapia, câncer, câncer de pele, cardiopatia, cistite, cistos, colesterol, colite, coração, crohn, depressão, dermatite, derrames, diabetes, doença de chagas, dor de garganta, dores, dores na coluna, enfisema, enxaqueca, epilepsia, erisipela, esclerodermia, espondilite, esteatose, estresse, feridas, fibromialgia, fibroses, fungos, furunculose, gastrite, glaucoma, gota, gripe, hemorróidas, hepatite, hernia de disco, herpes, hipertensão, histoplasmose, hiv, infecções, insônia, labirintite, leucemia, leucopenia, lupus, mal de parkinson, menopausa, menstruação, micoses, mioma, na odontologia, neurofibrose, osteomielite, osteoporose, penfigo, prisão de ventre, problemas anestesia, problemas circulatórios, problemas de pele, problemas de vista, problemas estomacais, problemas pulmonares, problemas renais, psoríase, púrpura, reumatismo, rinite, síndromes, sinusite, tiróide, toxoplasmose, trombose, tumores, várias patologias (1 e 2) , varizes, verrugas, vírus hpv.

 

Protocolo de AHT

Algo estranho no CFM e ANVISA

ao perseguir a auto-hemoterapia

 

Uma matéria publicada sábado, 31 de agosto de 2013 no site UNISANTA/Online, intitulada “Auto-hemoterapia: tratamento ilegal conta com muitos adeptos”, merece algumas observações. Em primeiro lugar, o tratamento não pode ser tratado de “ilegal”, pois não existe nenhuma lei que o proíba; apenas uma medida arbitrária da Anvisa e um parecer absurdo do CFM. Quanto à afirmação de que conta com muitos adeptos, é um fato que devia ser considerado até pelo Ministério da Saúde, para mandar pesquisar a eficácia da técnica.

A matéria informa que “A lista de pessoas que se dizem beneficiadas é grande” e se houvesse seriedade de honestidade de propósito das instituições ligadas ao assunto, esta realidade seria suficiente para desencadear pesquisas científicas para completar a comprovação, que já é ampla. O normal seria, portanto, transformar essa lista de pessoas que se dizem beneficiadas em universo de pesquisa.

Relatos

A matéria traz relatos de pessoas que afirmam ter obtido êxito com uso da auto-hemoterapia em casos de gripe, rinite, humor, ânimo, nódulo na tireoide, desvio de coluna, menopausa, câncer e acne, bem como seu isso para manter a imunidade. Muitos afirmam ter curado vários problemas. Quem afirma normalmente tem documentação – exames médicos para comprovar o que diz; mas os órgãos perseguidores fazem questão de não levar nada disso em consideração.

A auto-hemoterapia consiste na retirada de sangue da veia do paciente e imediata injeção por via intramuscular, feita a cada cinco a sete dias. O procedimento quadruplica a quantidade de macrófagos, células que intervêm na defesa do organismo contra infecções.

Arbitrariedade

A matéria lembra que em 2007 a Anvisa, com apoio da Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia, divulgou nota considerando ilegal o procedimento. Nesse sentido, destaca o item 7, que afirma:

“7. O procedimento auto-hemoterapia pode ser enquadrado no inciso V, Art. 2º do Decreto 77.052/76, e sua prática constitui infração sanitária, estando sujeita às penalidades previstas no item XXIX, do artigo 10, da Lei nº. 6.437, de 20 de agosto de 1977”.

Como se sabe, ilegal é algo proibido por lei. Interesses corporativos da indústria farmacêutica criaram essa afirmação e ela é recebida de forma descuidada no Brasil inteiro. Basta fazermos uma pergunta básica: qual lei, qual artigo, parágrafo ou inciso proibe a auto-hemoterapia? A resposta é “nenhum”. Portanto, a matéria foi levada a fazer um afirmação que não é verdadeira. A Nota Técnica da Anvisa não tem tal poder e foi plenamente contestada em artigo que escrevemos à época, onde mostramos:

“Para não deixar de capitular o procedimento nem que fosse de forma tangencial, a ANVISA citou em sua nota técnica, como vimos o Decreto 77.052/76 e a Lei 6.437/77. Pois bem: sabe o que dizem aqueles textos legais?

1.O Decreto Nº 77.052, de 19 de janeiro de 1976, que dispõe sobre a fiscalização sanitária e dá outras providências reza, em seu Art. 2º que “Para cumprimento do disposto neste Decreto as autoridades sanitárias mencionadas no artigo anterior, no desempenho da ação fiscalizadora, observarão os seguintes requisitos e condições: (...) V - Métodos ou processos de tratamento dos pacientes, de acordo com critérios científicos e não vedados por lei, e técnicas de utilização dos equipamentos.” No campo da vedação legal, não existe nenhuma lei tratando do assunto. E quanto a equipamentos, a auto-hemoterapia não necessita de nada além de seringas, garrotes, algodão e álcool.

2. A Lei nº 6.437, de 20 de agosto de 1977, por sua vez, “Configura infrações à legislação sanitária federal, estabelece as sanções respectivas, e dá outras providências”. Reza, no seu Art. 10, que “São infrações sanitárias: (...) XXIX - transgredir outras normas legais e regulamentares destinadas à proteção da saúde:”, estabelecendo Pena – de “advertência, apreensão, inutilização e/ou interdição do produto; suspensão de venda e/ou fabricação do produto, cancelamento do registro do produto; interdição parcial ou total do estabelecimento, cancelamento de autorização para funcionamento da empresa, cancelamento do alvará de licenciamento do estabelecimento, proibição de propaganda”.

Como se vê, também nesta Lei citada pela ANVISA, nada enquadra a auto-hemoterapia. Vejamos porquê. Os princípios de direito são claros e inarredáveis. Não há crime sem lei que o preveja. Lamentável, então que um órgão público federal trate de um assunto de forma tão genérica, ao ponto de tentar fazer um vínculo com o “transgredir outras normas legais e regulamentares destinadas à proteção da saúde”.

O texto da Lei existe para ser utilizado com as outras normas legais. Para fazer enquadramento, a ANVISA precisaria dizer em quais normas legais estaria passível de punição a auto-hemoterapia.

Escondido

Por fim, um médico que prefere se esconder no anonimato, diz que a terapia seria Charlatanismo. Essa “postura” vem sendo adotada por alguns desde que o Fantástico tratou do assunto, em abril de 2007.

Defendemos que sejam levados em consideração os relatos e que sejam realizadas pesquisas para comprovar o que dizem os usuários. O Brasil não pode aceitar a palavra de um médico que se esconde atrás do anonimato para repetir asneiras já conhecidas contra a auto-hemoterapia.

(03/09/2013)

 

 

FONTES

O que é auto-hemoterapia?

 
  DR. LUIZ MOURA

É uma técnica simples, em que, mediante a retirada de sangue da veia e a aplicação no músculo, ela estimula um aumento dos macrófagos, que são, vamos dizer, a Comlurb (Companhia de Limpeza Urbana) do organismo.

Os macrófagos é que fazem a limpeza de tudo. Eliminam as bactérias, os vírus, as células cancerosas, que se chamam neoplásicas. Fazem uma limpeza total, eliminam inclusive a fibrina, que é o sangue coagulado. Ocorre esse aumento de produção de macrófagos pela medula óssea porque o sangue no músculo funciona como um corpo estranho a ser rejeitado pelo Sistema Retículo Endotelial (SRE). Enquanto houver sangue no músculo o Sistema Retículo Endotelial está sendo ativado. E só termina essa ativação máxima ao fim de cinco dias.

A taxa normal de macrófagos é de 5% (cinco por cento) no sangue e, com a auto-hemoterapia, nós elevamos esta taxa para 22% (vinte e dois por cento) durante 5 (cinco) dias. Do 5º (quinto) ao 7º (sétimo) dia, começa a declinar, porque o sangue está terminando no músculo. E quando termina ela volta aos 5% (cinco por cento). Daí a razão da técnica determinar que a auto-hemoterapia deva ser repetida de 7 (sete) em 7 (sete) dias.

Essa é a razão de como funciona a auto-hemoterapia. É um método de custo baixíssimo, basta uma seringa. Pode ser feito em qualquer lugar porque não depende nem de geladeira - simplesmente porque o sangue é tirado no momento em que é aplicado no paciente, não há trabalho nenhum com esse sangue. Não há nenhuma técnica aplicada nesse sangue, apenas uma pessoa que saiba puncionar uma veia e saiba dar uma injeção no músculo, com higiene e uma seringa, para fazer a retirada do sangue e aplicação no músculo, mais nada. E resulta num estímulo imunológico poderosíssimo.

 

 

 

PARA ENTENDER OS FATOS

PARA ENTENDER OS FATOS-II

PARA ENTENDER OS FATOS-III

 


 

PELA LIBERAÇÃO DA AUTO-HEMOTERAPIA NO BRASIL

Para assinar a petição, basta acessar o site http://bit.ly/JFQegr  e seguir as intruções.

 

   

 

   

 

   
     

PROTOCOLO DE AUTOHEMOTERAPIA

Prof. MSc. Enf. Telma Geovanini

   
     

 

Epidermólise Bolhosa pode ser

tratada com a auto-hemoterapia

 

 

PESQUISA MOSTRA 1108 USUÁRIOS DA AHT

 

Razões para liberar o uso da

Auto-hemoterapia no Brasil

 

ARQUIVOS COM OUTRAS INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE AUTO-HEMOTERAPIA