Poemas de CORDEL

Coletânea de versos de Walter Medeiros e outros cordelistas nordestinos

 

Noite de raposas e manhã de carcarás

 

--- Walter Medeiros

 

Nas estradas do Nordeste,

temos muito o que ver:

d´aurora ao anoitecer,

é um verdadeiro teste,

que temos que enfrentar,

prá poder nos deslocar,

desde o sertão ao agreste.

 

Basta que agora lhe conte

uma recente viagem,

feita por estas paragens

de tão lindo horizonte:

prá você ter uma idéia,

quem viajou na boléia

diz que foi estronteante.

 

Com destino a Fortaleza,

Voltavam de Caicó:

Uma alegria só,

era tudo uma beleza.

De repente, começou

aquilo que se tornou

numa estranha surpresa.

 

Coisa que só via em lousa,

Doutor Jackson apreciou,

quando bem perto passou

uma enorme raposa.

Ele até se esquivou,

mas firme aguentou

tão surpreendente coisa.

 

Depois veio logo outra

e mais outas, outas tais,

ele nem ligava mais,

dizia que era marota

mas todos naquele carro

em estado tão bizarro

diziam “tá com a gôta”.

 

De repente aliviou

e as raposas sumiram

nenhum mais eles viram

quando algo clareou

aí veio a novidade

em meio à claridade

que ao grupo impressionou

Pela estrada a deslizar,

seguia o rumo traçado

quase meio desligados,

para o Céu foram olhar;

que cena estranha viram

quando a vista subiram:

a nuvem de carcará.

 

Lembraram de Hitcok,

naquele seu filme lindo,

com os pássaros seguindo

quem desse o menor toque;

Mas, com seus conhecimentos

o grupo teve momentos

de diferentes enfoques.

 

O medo de virarem presas

criou uma mente só;

os carcarás não tinham dó,

no rumo de Fortaleza,

seguiam o carro pertinho

e todo mundo juntinho

testavam a natureza.

 

Uns achavam engraçado,

outros tinham apreensão,

era tanta emoção,

tinha até doutor calado;

mas parecia eterno,

diziam que era um inferno

aquele trecho enfrentado.

 

Raposas a carcarás

chamaram tanta atenção,

que o grupo com emoção

só falava sobre paz:

respirando muito fundo,

pensaram por um segundo:

- outra dessas, nunca mais.

 

Tanto que nem mais lembravam

o dia anterior,

onde no interior

tiveram uma agenda brava,

Mas isso é outra história

que vai ficar na memória

de viagem cheia de favas.

 

Por aqui vou encerrar,

quero que tenham gostado

do que foi aqui narrado

e tenho que homenagear;

senão, não tinha histórias,

pois aqui quem tem as glórias

é raposa e carcará.

 

FIM

 

  

LEIA TAMBÉM

Poemas de Walter Medeiros

e-mail 

Poemas de CORDEL

(*) O conteúdo deste site pode ser reproduzido, desde que citada a fonte e o uso não seja para fins comerciais.

VISITANTES